Cirurgião Pélvico Pleno

O Instituto Crispi de Cirurgias Minimamente Invasivas está lançando o mais completo e abrangente curso de Cirurgia Pélvica já ministrado no Brasil! 

Nossos alunos receberão treinamento de ponta, com tecnologias médicas de última geração, para atingirem o status de EXPERTS naquilo que fazem: Salvar vidas!

Apresentação do Curso de Cirurgião Pélvico Pleno

Inovação sempre foi marca registrada do Instituto Crispi, que chega aos 22 anos de trajetória, lançando um curso REVOLUCIONÁRIO no universo dos procedimentos minimamente invasivos: o Cirurgião Pélvico Pleno.

Voltado para ginecologistas com comprovada experiência cirúrgica, que já realizam cirurgias laparoscópicas com destreza, este curso tem por objetivo lapidar conhecimentos e proporcionar um salto definitivo rumo à formação de um expert cirúrgico

Com um programa formatado para atender às demandas atuais, ele permitirá ao cirurgião trafegar na pelve com desenvoltura e ter competência de discutir condutas com sua equipe multidisciplinar, contribuindo efetivamente para o tratamento das patologias mais complexas.

Cirurgia Robótica: Profissão do Futuro!

Quem entrar no mercado daqui a dez ou quinze anos, no Brasil, vai fazer cirurgia robótica ou não vai fazer cirurgia nenhuma. Nos Estados Unidos, é quase isso. Os procedimentos em urologia, ginecologia e do aparelho digestivo são predominantemente feitos por meio de cirurgia robótica. As três áreas usam, de rotina, o robô…”, diz especialista 

FONTE: http://educacao.estadao.com.br/noticias/geral,profissoes-do-futuro-cirurgia-robotica,1743445

Objetivos Específicos do Curso

pioneirismo em cirurgias minimamente invasivas do Instituto Crispi foi primordial para a criação deste INÉDITO curso de Cirurgião Pélvico Pleno, que tem como objetivo formar experts em Cirurgia Pélvica atualizados com uma visão abrangente para área de saúde. Essa formação é possível através do treinamento prático supervisionado por uma equipe de experts altamente qualificados de padrão internacional que estarão presentes a cada etapa da formação. Ao final do curso, os alunos terão tido a oportunidade treinar em simuladores, VivoLab no CadaverLab do Nicholson Center, em Orlando/Flórida.

O Curso de Cirurgião Pélvico Pleno tem por objetivo geral promover a capacitação técnico-científica Nível V em Laparoscopia, utilizando os recursos da Cirurgia 4.0. 

Além disso, objetiva formar experts que sejam capazes de:

 
  • Identificar as estruturas anatômicas com clareza e segurança;

  • Diagnosticar, mapear e aplicar as melhores estratégias para o tratamento das doenças ginecológicas de alta complexidade;

  • Identificar e conduzir com maestria complicações cirúrgicas.

  • Compreender o valor do trabalho conjunto com equipes multidisciplinares e dialogar e discutir condutas

Público-alvo do Curso de Cirurgião Pélvico Pleno

Ginecologistas que atendam uma das exigências abaixo relacionadas:

  • Sejam certificados em Cirurgia Laparoscópica por sociedades médicas reconhecidas ou;
  • Possuam pelo menos dois anos de experiência em Cirurgias Minimamente Invasivas ou;
  • Comprovem participação em 20 Procedimentos cirúrgicos Laparoscópicos

Carga Horária e Atividades

O curso é ministrado no período de 24 meses (dois anos), com uma carga horária de 816 horas, dividida entre teoria (384 horas) e prática (432 horas).

O curso é dividido em módulos mensais com IMERSÃO de três dias (sexta, sábado e domingo) que acontecerão nas dependências do Centro de Treinamento Cirúrgico do Instituto Crispi, em Juiz de Fora, e no Nicholson Center, em Orlando/EUA.

Técnica que usa robôs em cirurgias é usada cada vez mais no Brasil

A técnica que usa robôs em cirurgias está ficando cada vez mais popular. No Brasil, já existem 23 equipamentos que fazem este tipo de procedimento em hospitais do Nordeste, Sul e Sudeste. A cirurgia pode custar até R$ 30 mil, mas essa operação já é feita pelo SUS em cinco hospitais em três estados do Brasil. 

“Além de menor invasão, com corte, menos dor, o paciente tem menos sangramento, menos tempo de internação, menor risco de infecção e, junto a isso, necessidade menor de tratamento no futuro. Ou seja, menos radioterapia complementar ou de resgate”.

Módulos do Curso

Clique nos títulos dos módulos para saber mais

– Revisão de Instrumentais e  equipamentos  

  • AULA NA S. REALISTICA – DR. CLAUDIO CRISPI, MONICA, YULO            

 – Laparoscópico

    – Laparoscópico

      – Fontes e cabos de Luz                  

      – Insufladores

      – Câmeras – 4K, 3D

 – Robótico – AULA TEÓRICA – DR THIERS

      – Tipos de Robô

      – Equipamentos e materiais disponíveis para cirurgia robótica.

– Preparo do paciente – Sala de Cirurgia

               – Cirurgia VL – DR CLAUDIO CRISPI

               – Robótica – DR THIERS

– Preparo da Paciente – Equipe Multidisciplinar – DR CLAUDIO CRISPI

– Punções e inventário – DR THIERS

                 – VL

                 – Robótica (+ Docking)

– Anatomia – DR CLAUDIO

                 – Músculos, Fascias, Ligamentos

                 – Vasos, Nervos

                 – Espaços virtuais

– Suturas – CURSO MASTER – DR THIERS

                 – Ergonomia

                 – Tipos de suturas

                 – Tipos de Nós

– Reconstruções – DR PAULO REIS

                 – Grampeadores

– Hemostasias – DR THIERS

                  – Mecânica

                  – Uso de Hemostátiscos

                  – Uso de Anti Aderentes

– Técnicas de retiradas e exteriorizações de peças de forma minimamente invasiva (novos afastadores, endobags, etc). – DR PAULO REIS

– Drenos – quando e por quanto tempo? DR PAULO REIS

– Meios de Energia

                  – Eletro cirurgia – DR CLAUDIO

                  – Curso de laser – DRA LUCIANA/DMC

                  – Energia Ultrassônica – DR CLAUDIO

                  – Outros meios de energia (Argônio, etc) – DR CLAUDIO

– Sistematização Cirúrgica – DR CLAUDIO

                  – Compartimento Anterior

                  – Compartimento Posterior

                  – Compartimento Lateral

– Complicações Gerais (Complicações das punções, do pneumoperitôneo, do posicionamento da paciente – perneiras e trendelemburg, etc) DR PAULO REIS/DR PIETRO

Fundamentos:

– Noções de Embriologia dos cólons e região anorretal

– Noções de Histologia dos cólons e região anorretal

– Anatomia dos cólons e região anorretal

 

Propedêutica Clínica:

– Diagnóstico e interpretações clínicas das queixas coloporctologicas

– Fisiologia da Evacuatória

– Propedutica Colorretal e Anorretal

– Disfunção Evacuatória (Constipação, Tenesmo, Incontinência Fecal, Urgência, Anismo, etc)           

– Prolapso e Procidência retais.

– Propedêutica da Alterações Evacuatórias e dos Prolapsos retais

                  – História Clínica e exame físico

                  – Exames complementares

– Tratamento das Difunções Evacuatórias.

                    – Constipação

                    – Tenesmo

                    –  Incontinência Fecal

                    – Urgência

                    – Anismo, etc

– Tratamento dos Prolapsos.

EXAME FÍSICO

– Como realizar o exame físico coloproctológico

EXAMES COMPLEMENTARES

   – Retossigmoidoscopia (Indicação, Tecnica e Principais achados)

   – Colonoscopia (Indicação, Tecnica e Principais achados)

   – Enema opaco (Indicação, Tecnica e Principais achados)

   – TC de abdome e pelve (Indicação, Tecnica e Principais achados)

   – Trânsito de delgado (Indicação, Tecnica e Principais achados)

   – Exames de Ultrassonografias (Indicação, Tecnica e Principais achados)

   – Angiografia (Indicação, Tecnica e Principais achados)

   – Ressonância Magnética (Indicação, Tecnica e Principais achados)

   – Manometria (Indicação, Tecnica e Principais achados)

   – Eletromiografia (Indicação, Tecnica e Principais achados)

 

Propedêutica urológica em coloproctologia

    – Obstrução ureteral

    – Fístulas enterro urinárias

    – Invasão dos tumores nas estruturas urinárias

    – lesões iatrogênicas nas cirurgias colorretais (lesões ureterais, vesicais, uretrais e fístulas)

    – Disfunções vesicais e sexuais

 

Propedêutica coloproctológica em ginecologia

    – Ocorrências coloproctologicas levando a reflexos ginecológicos:

       – Cancer colorretal

       – Doença de Crohn

       – Doença diverticular do sigmoide

       – Colon Irritável

       – Radioterapia no Ca de Reto

       – Abscessos e infecções ano perineais

       – Doença de Crohn ano perineal

       – Condilomas anais

       – Infecções por fungos e vírus

  – Ocorrências ginecológicas levando a reflexos coloproctológicos:

       – Per Operatórias

            – Lesões (térmicas ou perfuro cortantes) de reto, sigmoide

       – Tratamentos radioterápicos de cânceres uterinos

       – Obstrução

       – Ulceração

       – Hemorragia

       – Fistulizações

       – Traumatismo de retossigmoide em procedimentos ginecológicos via vaginal (WC, Histeroscopia)

       – Compressões de tumores ginecológico em estruturas colorretais – quando suspeitar e como agir.

        – Tumores ginecológicos (benignos e malignos) invadindo o retossigmoide.

 

    – Ocorrências ginecológicas levando à necessidade de diagnósticos diferenciais com ocorrências coloproctológicas:

          – Doença inflamatória pélvica

          – Endometriose pélvica

          – Gravidez ectópica

          – Complicações de tumores benignos e cistos ovarianos

          – Cancer ginecológico

     – Doenças concomitantes (coloproctológicas e ginecológicas)

         – Sindrome do descenso Perineal

            – Sinais e sintomas

            – Diagnóstico – Manometria, Defecografia, Eletromiografia.

Propedêutica na Perfuração Colorretal

    – Aspectos anatômicos

    – Mecanismos das lesões

    – Diagnóstico – Imediato, Mediato e tardio

Propedêuticas na constipação e Diarréia

Propedêuticas das ileostomias e colostomia

    – Conceito, Indicações e complicações

Propedêutica na pseudobstrução e obstrução intestinal

    – Definição

    – Classificação – Funcional, Mecânica e vascular

    – Fases

        – Consequências do sequestro e estase

        – Fase da Distensão

        – Fase da isquemia

    – Evolução

    – Diagnóstico

 

TERAPÊUTICA:

     – Princípios:

        – Elementares

          – Preparo intestinal

          – Posicionamento da paciente

          – Antibióticos

          – Posicionamento da equipe

          – Dieta pré e pós operatória

     

       – Técnicas

          – Incisões e Vias de acesso para cirurgias abdominais

          – Fios de cirúrgicos, suturas e anastomoses (Técnicas e intercorrências – como evitar)

          – Grampeadores, suturas e anastomoses mecânicas (Sigmoidianas, Sigmoide/retal alta e baixa, discoide, duplo discoide, íleo/colonicas), cuidados antes do disparo, disparo, retirada do grampeador, recuperação dos anéis, exame da anastomose e correções eventuais, testes de segurança (manobra do borracheiro e manobra da sonda de Foley)

       – Princípios Técnicos

          – Cirurgias abdominais

                – Hemicolectomia direita com anastomose ileocolônica

                – Hemicolectomia esquerda com anastomose colorretal alta

                – Sigmodectomia com anastomose colorretal alta

                – Retossigmoidectoma baixa com anastomose colorretal

                – Retossigmoidectomia com colostomia terminal (Cirurgia de Hartmann) e colostomia terminal.

          – Das Cirurgias dos estomas intestinais

                 – Conceitos e princípios técnicos

                 – Inidcações de Ileostomias e colosctomias

                 – Formas e localizações

                 – Permanência e cuidados

                 – Intercorrências (Hérnias, Prolapso, Retração, Abscessos, Isquemias, Necrose)

                 – Síndrome Pós Colostomia

                 – Fechamento

    -Tratamento das urgências

            – Obstrução Intestinal

            – Das complicações das cirurgias colorretais

            – Das fístulas enterocolorretais

            – Das estenoses de reto e das anastomoses

            – Das deiscências das anastomoses.

– Embriologia e Histologia das Vias Urinárias

– Anatomia das Vias urinária Inferiores (Bexiga, Ureter Distal, Inervação e Vascularização)

– Suas relações com o assoalho pélvico, órgãos e estruturas vizinhas

– BEXIGA

– Fisiologia da Micção

– Disfunção Miccional (IUE, Estrangúria, Disúria, Urgência, etc)

                  – Causas

                  – Como investigar

– Propedêutica da Alterações Miccionais

                  – Urodinâmica

                       – Indicações

                       – Técnica

                       – Principais achados

                  – Cistoscopia

                       – Indicações

                       – Técnica

                       – Principais achados

 

                  – Ureterorrenoscopia

                       – Indicações

                       – Técnica

                       – Principais achados

 

– Tratamento das Difunções Miccionias.

                  – IUE

                     – Via Abdominal – Burch

                     – Via Vaginal – TVT, Fisioterapia, Etc

                  – Estrangúria, Dísúria, Urgência

                  – Retenção Urinária

– Citite de Repetição

                   – Causas

                   – Investigação

                    -Tratamento

– Cistite Intersticial

                    – Causas

                   – Investigação

                    -Tratamento

– Trauma de Bexiga

                    – Térmico

                    – Mecânico

                       – Diagnóstico e Tratamento

– Fístulas de Bexiga

                       – Diagnóstico e Tratamento

– Tumores de Bexiga

                       – Diagnóstico e tratamento

                          – Cistectomia Parcial

                          – Cistectomia Total

 

URETER

– Estenose de Ureter

                    – Causas

                   – Investigação

                    -Tratamentos

                         – Ureterólise

                             – Técnica

                             – Complicações imediatas, mediatas e tardias

                           – Dilatação

                              – Uso de balões

                           – Ressecção segmentar e anastomose término

                              Terminal

                               – Técnica

                               – Complicações imediatas, mediatas e tardias

                           – Reimplante de ureter

                               – Técnica

                               – Complicações imediatas, mediatas e tardias

                           – Derivações

                           – Aplicação de cateter duplo J

                               – Técnica

                               – Complicações imediatas, mediatas e tardias

Traumas de Ureter

                            – Térmico

                            – Mecânico

                             – Diagnóstico e Tratamento

Fístulas de Ureter

                             – Causas

                             – Diagnóstico

                             – Tratamento

 

URETRA

– Estenose de uretra

                             – Causas

                             – Diagnóstico

                             – Tratamento

– Fístula de Uretra

                             – Causas

                             – Diagnóstico

                             – Tratamento

Uretrocele

                             – Causas

                             – Diagnóstico

                             – Tratamento

 

Fundamentos

– Embriologia e Histologia do trato urinário – Revisão

– Anatomia funcional do assoalho pélvico

   – Mecânica da continência urinária e esvaziamento vesical

   – Mecânica do esvaziamento retal e continência anal

   – Teoria integral da continência

– Neurofisiologia da micção

– Urodinâmica – Revisão

– Ultrassonografias do assoalho pélvico

– Ressonância Magnética do assoalho pélvico

– Defecorressonância

– Uretrocistoscopia – Revisão

– Eletromiografia perineal

 

Incontinência Urinária de esforço

    – Diagnóstico Clínico / Laboratorial

    – Terapia comportamental e fisioterapia

    – Tratamento farmacológico

    – Tratamento Cirúrgico

       – Colpossuspensão retropúbica

          – Indicação, Preparo, Técnica, Intercorrências

       – Slings

          – Indicação, Preparo, Técnica, Intercorrências

       – Outras técnicas

          – Indicação, Preparo, Técnica, Intercorrências

         – Complicações do tratamento cirúrgico

            – Imediatos, mediatos e tardios

 

Bexiga Hiperativa

      – Diagnóstico clínico laboratorial

        –  Tratamento farmacológico (Sistêmico e Local)

      – Tratamento comportamental e fisioterápico

         – Neuromodulação

         – Tratamento cirúrgico

Incontinência Urinária Mista

         – Diagnóstico e tratamento

 

Retenção Urinária

       – Diagnóstico e tratamento

Sindrome da Bexiga Dolorosa

       – Diagnóstico e tratamento

Fistula geniturinária.

       – Diagnóstico e tratamento

Prolapso Genital

       – Diagnóstico e Classificação

          – Tratamento clínico

          – Tratamento Cirúrgico

             – Defeitos de parede anterior

                – Colporrafia Anterior

                – Correção de defeito paravaginal

              – Defeitos Apicais

                 – Cirurgia de Manchester

                 – Colpocleise

                 – Histeropexia ou colpopexia

                     – Laparoscópica

                     – Vaginal

                 – Histerectomia vaginal

               – Defeitos da Parede Posterior

                  – Colporrafia posterior

               – Uso de Telas

               – Complicações

 

Disfunções Anorretais

       – Avaliação Clínica e Laboratorial

          – Tratamento

              – Incontinência Anal – clínico / cirúrgico

              – Evacução Obstruída – Clinico / Cirúrgico

 

 

Doenças Neurológicas e Trato Urinário

                – Controle da Micção

                – Avaliação da paciente com disfunções

                – Lesões dos nervos pélvicos e suas repercuções

– Revisão Anatomia do Retroperitônio

– Abordagem cirúrgica em pacientes com cirurgias anterior

     – Avaliação pré-operatória

     – Cuidados pré-operatórios

        – Duplo J – Quando?

        – Preparo Intestinal – Sempre?

        – Equipe Multidisciplinar – Fundamental?

        – Orientações a paciente

      – Técnica Operatória

         – Restrições a cirurgia laparoscópica ou robótica?

         – Escolha do meio de energia

         – Escolha e opções dos sítios das punções

         – Sistematização cirúrgica

         – Intercorrência Urinárias – Conduta

         – Intercorrências Intestinais – Conduta

         – Intercorrências Vasculares – Conduta

         – Intercorrências Nervosa – Conduta

          – Morcelamento das peças – Opções,Tecnica e cuidados.

  –  Adenomiose

       – Diagnóstico Clínico e Laboratorial

       – Repercuções clínicas – Dor, SUA, Infertilidade

       – Tratamento Clínico

       – Tratamento Cirúrgico – Técnicas, Controle de dano e sangramento, maximizando os resultados, controle pós-operatório.

 

– Miomas Volumosos

        – Diagnóstico Clínico e Laboratorial

       – Repercuções clínicas – Dor, SUA, Infertilidade

       – Tratamento Clínico  

       – Tratamento Cirúrgico – Técnicas, Controle de dano e sangramento, maximizando os resultados, controle pós-operatório.

 

– Miomas Múltiplos

         – Diagnóstico Clínico e Laboratorial

       – Repercuções clínicas – Dor, SUA, Infertilidade

       – Tratamento Clínico 

       – Tratamento Cirúrgico – Técnicas, Controle de dano e sangramento, maximizando os resultados, controle pós-operatório.

– Histerectomia em úteros volumosos

        – Diagnóstico Clínico e Laboratorial

       – Repercuções clínicas – Dor, SUA, Infertilidade

       – Tratamento Clínico 

       – Tratamento Cirúrgico – Técnicas, Controle de dano e sangramento, maximizando os resultados, controle pós-operatório.

– Tumores anexiais volumosos

        –  – Diagnóstico Clínico e Laboratorial

       – Repercuções clínicas – Dor, SUA, Infertilidade

       – Tratamento Clínico 

       – Tratamento Cirúrgico – Técnicas, Controle de dano e sangramento, maximizando os resultados, controle pós-operatório.

– Tumores Anexiais Pós Histerectomia

         – Diagnóstico Clínico e Laboratorial

       – Repercuções clínicas – Dor.

       – Tratamento Clínico 

       – Tratamento Cirúrgico – Técnicas, Controle de dano e sangramento, maximizando os resultados, controle pós-operatório.

– Tratamento das fístulas ginecológicas

         –  Reto – vaginal

         –  Vesico – vaginal

         –  Uretero – Vaginal

– Tratamento Cirúrgico da Dor Pélvica Crônica

         – Origem Vascular

         – Origem Ginecológica

         – Origem Neurológica

         – Origem Urológica e Intestinal

          – Aderências Pélvicas – Tratamento, Como Previnir

          – Endometriose – Noções

– Tratamento Cirúrgico de Condições Agudas

          – Hemorrágicas

          – Infecciosas

– Cerclagem Laparoscópica

           – Indicações

           – Técnica e Intercorrências

– Revisão da Anatomia

– Sistematização Cirúrgica

       – Equipe Multidisciplinar

– Epidemiologia

– Etiopatogenia

    – Aspectos Gerais

    – Genéticos

    – Imunilógicos

– Aspectos Histopatológicos

– Diagnóstico

    – Clínico

       – Dor

       – Infertilidade

       – Alterações Funcionais

          – Reprodutivas

          – Urinárias

          – Intestinais

          – Respiratórias

          – Sexuais

          – Psíquicas

          – Qualidade de vida

    – Por Imagem (Mapeamento)

       – Ultrassonografia Transvaginal com preparo

       – Ressonância Magnética (Abdome e Pelve)

       – Urorressonância

       – Defecorressonância

       – Urodinâmica

        – Colonoscopia

        – Retossigmoidoscopia

        – Cistoscopia

        – Avaliação de reserva ovariana

Tratamento

– Clínco

  – Papel da Clínica da dor

  – Tratamento hormonal

          – Progestínicos? Combinados? Por quanto tempo?

          – Como Lidar com os efeitos indesejados

          – Terapia Hormonal e SUA, como eu lido?

          – Análogo do GnRH – Quando? Por quanto tempo? Pré Op? Pós op? 

          – Analgesia

              – Dor Crônica

              – Dor Aguda

          – Como acompanhar as pacientes em tratamento clínico?

             – Sem tratamento cirúrgico

             – Após tratamento cirúrgico

      – Papel das terapias alternativas

            – Exercícios

            – Orientação Nutricional

            – Fisioterapia

            – Acupuntura

 

– Cirúrgico

   – Endometriose Peritoneal

        – Indicações

        – Técnicas

        – Resultados

   – Ovariana

        – Patogênese

        – Diagnóstico

            – Clínico

            – Por Imagem

            – Avaliação da reserva ovariana

            – Diagnóstico Diferencial

                – Cisto Hemático

                – Afastando malignidade

                – Outros tumores anexiais

            – Indicação Cirúrgica

                – Infertilidade

                – Dor

                – Suspeita malignidade

           – Técnicas

           – Situações especiais

                 – Endometrioma recorrente

                 – Endometrioma Bilateral

                 – Endometrioma pequeno e volumoso

                 – Endometrioma na adolescência

                – Endometrioma no Climatério

 

   – Endometriose das Vias Urinária (Bexiga Ureter)

           – Epidemiologia

           – Anatomia das vias urinárias (Bexiga e Ureter)

           – Fisiologia da micção

           – Diagnóstico

                  – Quadro Clínico/Laboratório

                  – Por Imagem (mapeamento)

                      – Cistoscopia

                      – Ureterorrenoscopia

                      – Ultrassonografia

                      – Ressonância Magnética

                  – Avaliação Funcional

                      – Urodinâmica

                      – Cintilografias Renais

                      – Laboratorial

             – Tratamento

                   – Clínico / Acompanhamento

                       – Bexiga

                       – Ureter

 

                  – Cirúrgico

                        – Bexiga

                              – Cúpula

                              – Trígono

                            – Técnica

                               – Preparo Pré Op

                               – Cistectomia – Tecnica

                               – Avaliação Pós Op

                         – Ureter

                                – Intrínseca

                                – Extrínseca

                                  – Dilatação

                                         – Indicação

                                         – Técnica

                                         –  Intercorrência

                                  – Ureterólise

                                         – Indicação

                                         – Técnica

                                         –  Intercorrência

                                    – Ressecção segmentar e anastomose término-terminal

                                          – Indicação

                                         – Técnica

                                         –  Intercorrência

                                     – Reimplante do ureter

                                          – Indicação

                                         – Técnica

                                         –  Intercorrência

                      Intercorrências urológicas na cirurgia pélvica

                                     – Como conduzir

                                         – Retenção urinária

                                             – Aguda

                                             – Crônica

                                          – IUE

                                          – Fístulas

                                          – Estenoses

Endometriose Intestinal

           – Epidemiologia

           – Anatomia (Intestino Grosso, Reto, Ceco, Apendice)

           – Fisiologia da evacuação

           – Preparo intestinal

           – Diagnóstico

                  – Quadro Clínico/Laboratório

                  – Por Imagem (mapeamento)

                      – Retossigmoidoscopia

                      – Colonoscopia

                      – Ultrassonografia Transvaginal com preparo, 3D

                      – Ressonância Magnética

                  – Avaliação Funcional

                      – Defecorressonância

                      – Laboratorial

             – Tratamento

                   – Clínico – quando e como ?

             – Tratamento Cirúrgico

                    – Apendicectomia

                         – Inidicação

                         – Técnia

                    – Ceco e Válvula Íleo cecal

                         – Indicação

                         – Técnica – Tiflectomia

                – Delgado

                        – Inidicação

                        – Técnica – Shaving / Segmentar

                – Colons

                        – Inidicação

                        – Técnica – Shaving / Segmentar

                 – Sigmoide e Reto

                        – Inidcação

                        – Técnica – Shaving, Discoide, Duplo Discoide, Grampeamento Linear, Ressecção Segmentar

          – Intercorrência

                  – Constipação

                  – Estenose

                  – Fístulas

                  – Deiscências

                   – Como acompanhar o pós-operatório imediato?

                        – ACERTO

                        – Fast Track

           – Colostomia e Ileostomia

                    – Indicação

                    – Técnica

           – Lesões Intestinais inadvertidas na cirurgia pélvica

                   – Térmica

                   – Perfuro cortante

                   – Isquêmica

                         – Como conduzir?

Endometriose dos ligamentos uterinos, vagina e retrocervical

                          – Diagnóstico

                          – Técnica

Endometriose de Assoalho Pélvico, Paramétrios e nervosa

                          – Diagnóstico

                          – Técnica

Endometriose de Diafragma

                          – Diagnóstico

                          – Técnica

Endometriose e Infertilidade

                          – Epidemiologia

                          – Causas da Infertilidade

                          – Fertilização assistida

                                    – Quando?

                                        – Como?

                                        – Piora a endometriose?

                              – Cirurgia primeiro?

Endometriose na Adolescência

                              – Como conduzir

                                         – Clínico? Como?

                                         – Cirúrgico? Quando?

 

Endometriose no Climatério

                                – TRH é possível?

                                – E na endometriose ovariana.

Endometriose e Cancer

                               – Epidemiologia

                               – Fisiopatologia/Risco

                               – Fatores Hormonais

                               – Fatores Imunológicos

                               – Aspectos genéticos

                               – Cirurgia profilática?

Adenomiose

                             – Epidemiologia

                             – Patologia

                             – Quadro clínico

                             – Diagnóstico

                             – Classificação

                             – Tratamento

– Fundamentos

          – Revisão da anatomia retro peritoneal pélvica e abdome (aorta abdominal)

          – Cuidados Oncológicos na Cirurgia laparoscópica ou robótica – técnicas, materiais e equipamentos especiais, lavados peritoneais (citologia), biópsias peritoneais

          – Proteção dos portais

          – Proteção da equipe

          – Posicionamento da paciente e da equipe conforme a técnica e patologia

          – Linfadenectomia Pélvica – técnica

          – Linfadenectomia Paraórtica – técnica

          – Omentectomia – técnica

           – Desperitonização – técnica

           – Linfonodo Sentinela – Quando?

– Câncer de Colo

           – Estadiamento

           – Linfadenecotomia – Pélvica e Paraórtica

           – Linfonodo Sentinela

           – Histerectomia Radical

           – Traquelectomia

           – Preservação e reposicionamento dos ovários

 

Câncer de Endoemétrio

           – Estadiamento

           – Linfadenecotomia – Pélvica e Paraórtica ?

           – Linfonodo Sentinela ?

           – Histerectomia Radical

           – Preservação e reposicionamento dos ovários

 

Cancer de Ovário

           – Estadiamento

           – Tipos Histológicos

           – Cirurgia Radical

           – Laparoscopia sempre? Quais os limites?

Tumores de ovários Boderline

           – Diagnóstico

           – Opções Cirúrgicas

           – Como acompanhar

Módulo – Endometriose

– Revisão da Anatomia

– Sistematização Cirúrgica

       – Equipe Multidisciplinar

– Epidemiologia

– Etiopatogenia

    – Aspectos Gerais

    – Genéticos

    – Imunilógicos

– Aspectos Histopatológicos

– Diagnóstico

    – Clínico

       – Dor

       – Infertilidade

       – Alterações Funcionais

          – Reprodutivas

          – Urinárias

          – Intestinais

          – Respiratórias

          – Sexuais

          – Psíquicas

          – Qualidade de vida

    – Por Imagem (Mapeamento)

       – Ultrassonografia Transvaginal com preparo

       – Ressonância Magnética (Abdome e Pelve)

       – Urorressonância

       – Defecorressonância

       – Urodinâmica

        – Colonoscopia

        – Retossigmoidoscopia

        – Cistoscopia

        – Avaliação de reserva ovariana

Tratamento

– Clínco

  – Papel da Clínica da dor

  – Tratamento hormonal

          – Progestínicos? Combinados? Por quanto tempo?

          – Como Lidar com os efeitos indesejados

          – Terapia Hormonal e SUA, como eu lido?

          – Análogo do GnRH – Quando? Por quanto tempo? Pré Op? Pós op? 

          – Analgesia

              – Dor Crônica

              – Dor Aguda

          – Como acompanhar as pacientes em tratamento clínico?

             – Sem tratamento cirúrgico

             – Após tratamento cirúrgico

      – Papel das terapias alternativas

            – Exercícios

            – Orientação Nutricional

            – Fisioterapia

            – Acupuntura

 

– Cirúrgico

   – Endometriose Peritoneal

        – Indicações

        – Técnicas

        – Resultados

   – Ovariana

        – Patogênese

        – Diagnóstico

            – Clínico

            – Por Imagem

            – Avaliação da reserva ovariana

            – Diagnóstico Diferencial

                – Cisto Hemático

                – Afastando malignidade

                – Outros tumores anexiais

            – Indicação Cirúrgica

                – Infertilidade

                – Dor

                – Suspeita malignidade

           – Técnicas

           – Situações especiais

                 – Endometrioma recorrente

                 – Endometrioma Bilateral

                 – Endometrioma pequeno e volumoso

                 – Endometrioma na adolescência

                – Endometrioma no Climatério

 

   – Endometriose das Vias Urinária (Bexiga Ureter)

           – Epidemiologia

           – Anatomia das vias urinárias (Bexiga e Ureter)

           – Fisiologia da micção

           – Diagnóstico

                  – Quadro Clínico/Laboratório

                  – Por Imagem (mapeamento)

                      – Cistoscopia

                      – Ureterorrenoscopia

                      – Ultrassonografia

                      – Ressonância Magnética

                  – Avaliação Funcional

                      – Urodinâmica

                      – Cintilografias Renais

                      – Laboratorial

             – Tratamento

                   – Clínico / Acompanhamento

                       – Bexiga

                       – Ureter

 

                  – Cirúrgico

                        – Bexiga

                              – Cúpula

                              – Trígono

                            – Técnica

                               – Preparo Pré Op

                               – Cistectomia – Tecnica

                               – Avaliação Pós Op

                         – Ureter

                                – Intrínseca

                                – Extrínseca

                                  – Dilatação

                                         – Indicação

                                         – Técnica

                                         –  Intercorrência

                                  – Ureterólise

                                         – Indicação

                                         – Técnica

                                         –  Intercorrência

                                    – Ressecção segmentar e anastomose término-terminal

                                          – Indicação

                                         – Técnica

                                         –  Intercorrência

                                     – Reimplante do ureter

                                          – Indicação

                                         – Técnica

                                         –  Intercorrência

                      Intercorrências urológicas na cirurgia pélvica

                                     – Como conduzir

                                         – Retenção urinária

                                             – Aguda

                                             – Crônica

                                          – IUE

                                          – Fístulas

                                          – Estenoses

Endometriose Intestinal

           – Epidemiologia

           – Anatomia (Intestino Grosso, Reto, Ceco, Apendice)

           – Fisiologia da evacuação

           – Preparo intestinal

           – Diagnóstico

                  – Quadro Clínico/Laboratório

                  – Por Imagem (mapeamento)

                      – Retossigmoidoscopia

                      – Colonoscopia

                      – Ultrassonografia Transvaginal com preparo, 3D

                      – Ressonância Magnética

                  – Avaliação Funcional

                      – Defecorressonância

                      – Laboratorial

             – Tratamento

                   – Clínico – quando e como ?

             – Tratamento Cirúrgico

                    – Apendicectomia

                         – Inidicação

                         – Técnia

                    – Ceco e Válvula Íleo cecal

                         – Indicação

                         – Técnica – Tiflectomia

                – Delgado

                        – Inidicação

                        – Técnica – Shaving / Segmentar

                – Colons

                        – Inidicação

                        – Técnica – Shaving / Segmentar

                 – Sigmoide e Reto

                        – Inidcação

                        – Técnica – Shaving, Discoide, Duplo Discoide, Grampeamento Linear, Ressecção Segmentar

          – Intercorrência

                  – Constipação

                  – Estenose

                  – Fístulas

                  – Deiscências

                   – Como acompanhar o pós-operatório imediato?

                        – ACERTO

                        – Fast Track

           – Colostomia e Ileostomia

                    – Indicação

                    – Técnica

           – Lesões Intestinais inadvertidas na cirurgia pélvica

                   – Térmica

                   – Perfuro cortante

                   – Isquêmica

                         – Como conduzir?

Endometriose dos ligamentos uterinos, vagina e retrocervical

                          – Diagnóstico

                          – Técnica

Endometriose de Assoalho Pélvico, Paramétrios e nervosa

                          – Diagnóstico

                          – Técnica

Endometriose de Diafragma

                          – Diagnóstico

                          – Técnica

Endometriose e Infertilidade

                          – Epidemiologia

                          – Causas da Infertilidade

                          – Fertilização assistida

                                    – Quando?

                                        – Como?

                                        – Piora a endometriose?

                              – Cirurgia primeiro?

Endometriose na Adolescência

                              – Como conduzir

                                         – Clínico? Como?

                                         – Cirúrgico? Quando?

 

Endometriose no Climatério

                                – TRH é possível?

                                – E na endometriose ovariana.

Endometriose e Cancer

                               – Epidemiologia

                               – Fisiopatologia/Risco

                               – Fatores Hormonais

                               – Fatores Imunológicos

                               – Aspectos genéticos

                               – Cirurgia profilática?

Adenomiose

                             – Epidemiologia

                             – Patologia

                             – Quadro clínico

                             – Diagnóstico

                             – Classificação

                             – Tratamento

 

Treinamento de Equipe Multidisciplinar

Traga sua equipe para participar de uma experiência ÚNICA e REVOLUCIONÁRIA em treinamentos de alta complexidade multidisciplinar

Por mais que o Cirurgião seja um exímio profissional, com domínio das técnicas e práticas cirúrgicas mais avançadas, ele não opera sozinho. É preciso o apoio da sua equipe multidiscliplinar para atender casos de maior complexidade cirúrgica, e nós pensamos nisso!

No Curso de Cirurgião Pélvico Pleno do Instituto Crispi, o nosso aluno poderá trazer outros profissionais da sua equipe médica multidisciplinar* para participarem como alunos ouvintes, de forma que eles sejam capazes de identificar os procedimentos e ajudar plenamente nas cirurgias.

* Consulte condições

Faça sua pré-inscrição no Processo Seletivo HOJE MESMO!

Para participar do processo seletivo do curso de Cirurgião Pélvico pleno você deve pagar a taxa de pré-inscrição, através de boleto bancário ou cartão de crédito, clicando no botão abaixo e preenchendo o formulário. 
Após o pagamento, nossa equipe entrará em contato com você para informar sobre os procedimentos do processo seletivo, datas e demais informações.

Ninguém é líder por acaso. E o Instituto Crispi destaca seus GRANDES PARCEIROS na realização deste ambicioso projeto.

Práticas cirúrgicas

Cirurgias de ALTA COMPLEXIDADE em pacientes do Centro de Treinamento do Instituto Crispi, em parceria com a Maternidade Therezinha de Jesus, em Juiz de Fora/MG!

Cirurgia 4.0

Práticas cirúrgicas focadas em plataformas digitais que combinam robótica, análise de dados, conectividade, métodos avançados de imagem e instrumentais cirúrgicos.

Transmissões de Cirurgia

Exibição de Cirurgias ao vivo, entre o Hospital Maternidade Therezinha de Jesus e o Centro de Treinamento do Instituto Crispi, através de conexão de fibra ótica de alta velocidade!

Processo Seletivo

O processo seletivo para a participação no curso de Cirurgião Pélvico Pleno é composto de 3 etapas classificatórias e eliminatórias, que serão realizadas no dia 09 de Junho de 2018. O início das aulas será em 13 de Julho de 2018.

Análise de Currículo

Avaliação de experiência como médico cirurgião e pesquisador

Prova Teórica

Conhecimentos de Ginecologia Laparoscópica (Bibliografia: Tratado Crispi de Endoscopia Ginecológica)

Prova Prática

3 pontos COMPLETOS, utilizando técnica laparoscópica, em Simulador. Tempo: 5 minutos

Entrevista

Entrevista com o Expert Prof. Dr. Cláudio Crispi

CIRURGIA 4.0

Um novo conceito em prática cirúrgica

O Instituto Crispi de Cirurgias Minimamente Invasivas traz para o mundo da cirurgia o conceito da Indústria 4.0, através de um novo conceito cirúrgico: A CIRURGIA 4.0: Práticas cirúrgicas focadas em plataformas digitais que combinam robótica, análise de dados, conectividade, métodos avançados de imagem e instrumentais cirúrgicos. 
Com a adoção de avançadas tecnologias digitais de última geração, é possível aos nossos experts ampliar enormemente as possibilidades da cirurgia minimamente invasiva, aumentando a qualidade de vida dos nossos pacientes.

Destaques do Curso

Auditório Multimídia

Transmissão das cirurgias em tempo real através de sistema de fibra ótica de altíssima velocidade para as salas de Técnicas e Táticas

Curso de Imersão

Três dias por mês de IMERSÃO COMPLETA no ambiente do curso, favorecendo o networking e ampliando as oportunidades de desenvolvimento de uma forte rede médica nacional

Instalações Confortáveis

Investimos em confortáveis instalações para que nossos alunos tenham sempre uma experiência agradável e compatível com o padrão de qualidade que exigimos de nossos parceiros.

Centro Cirúrgico Completo

Nosso centro cirúrgico conta com tecnologia de ponta, sendo 5 salas COMPLETAS para videocirurgia, sendo 2 salas inteligentes, capazes de transmitir os procedimentos e casos em tempo real para a sala de Técnicas e Táticas para análise de casos

VivoLab em TODOS os módulos

Nosso centro cirúrgico conta com tecnologia de ponta, sendo 5 salas COMPLETAS para videocirurgia, sendo 2 salas inteligentes, capazes de transmitir os procedimentos e casos em tempo real para a sala de Técnicas e Táticas para análise de casos

Tecnologia de Ponta

Nosso centro cirúrgico conta com tecnologia de ponta, sendo 5 salas COMPLETAS para videocirurgia, sendo 2 salas inteligentes, capazes de transmitir os procedimentos e casos em tempo real para a sala de Técnicas e Táticas para análise de casos. Acesso à tecnologia de ponta em todos os módulos, tanto no VivoLab quanto nos pacientes humanos

Conheça nosso Centro de Treinamento e nossa parceria com o Nicholson Center

O Curso de Cirurgião Pélvico Pleno do Instituto Crispi é o PRIMEIRO CURSO DO PAÍS a levar seus futuros Experts para realizarem treinamento cirúrgico no Nicholson Center, nos Estados Unidos. Lá, nossos alunos terão acesso ao que há de MAIS MODERNO em Cirurgia Robótica, podendo, inclusive realizar o curso de Certificação em Cirurgia Robótica do Nicholson Center* 

Centro de Treinamento

Instituto Crispi

O Centro de Treinamento do Instituto Crispi de Cirurgias Minimamente Invasivas é um dos mais modernos e bem equipados da América Latina, contando com tecnologia médica digital de ponta e amplas instalações, que oferecem conforto e segurança para nossos alunos.

Parceria Instituto Crispi

Nicholson Center

Nossa parceria com o Nicholson Center/Floria Hospital permite que nossos alunos possam utilizar as instalações de um dos mais modernos e avançados centros médicos dos EUA, para a prática de Cadaverlab, onde nossos alunos poderão praticar técnicas cirúrgicas em dorsos humanos. 

* Duas viagens programadas à Orlando, FL/EUA: Junho de 2019 e Junho de 2020

Um dos PRIMEIROS E ÚNICOS CURSOS DO BRASIL com cirurgias supervisionadas em Humanos há mais de duas décadas!

Mais experiência, segurança e aprendizado PRÁTICO para nossos alunos!

Diferenciais Internacionais: CadaverLab e Certificação Robótica

O Curso de Cirurgião Pélvico Pleno do Instituto Crispi é o PRIMEIRO CURSO DO PAÍS a levar seus futuros Experts para realizarem treinamento cirúrgico no Nicholson Center, nos Estados Unidos. Lá, nossos alunos terão acesso ao que há de MAIS MODERNO em Cirurgia Robótica, podendo, inclusive realizar o curso de Certificação em Cirurgia Robótica do Nicholson Center* 

Cadaver Lab

Nicholson Center

INCLUÍDO NO VALOR DO CURSO*, os treinamentos no CadaverLab do Nicholson Center, Florida Hospital, permitirão aos nossos alunos realizar procedimentos cirúrgicos em condições REAIS de anatomia humana, proporcionando muito mais precisão e realismo nas condutas cirúrgicas. 

* Duas viagens programadas à Orlando, FL/EUA: Junho de 2019 e Junho de 2020

Certificação Robótica

Orlando/FL

Os alunos do Curso de Cirurgião Pélvico Pleno terão a oportunidade OPCIONAL* de participarem do Curso de Certificação Robótica do Nicholson Center (12 a 16 de Novembro de 2018), tornando-os aptos a participar de condutas cirúrgicas roboticamente assistidas.

* O valor do curso de Certificação, assim como demais despesas relacionadas não estão incluídas. O curso dará ao aluno o credenciamento necessário para se inscrever nos programas de treinamento oferecidos pelos hospitais que possuem robôs DaVinci no Brasil.

Progressão Técnico-científica

A curva de aprendizado do cirurgião é sabidamente demorada. Um ano de treinamento não é suficiente para o desenvolvimento de experts aptos para realizar procedimentos complexos com segurança. Para isso, contamos com cinco níveis de formação progressiva que iniciam com as nossas Pós-graduações Lato-Sensu, passando pelos cursos Fellows I, II, III e culminando com o Curso de Cirurgião Pélvico Pleno.

Conheça nossos Experts

Prof. Dr. Cláudio Crispi

Coordenador Geral do Curso

  • Ex-presidente da Sociedade Brasileira de Videocirurgia (Sobracil) – 2013 e 2014;
  • Coordenador-geral da Pós-Graduação em Videoendoscopia Ginecológica do Instituto Crispi (Suprema);
  • Chefe do Serviço de Endoscopia do Hospital São Vicente de Paulo (RJ);
  • Autor dos Tratados de Endoscopia Ginecológica e Cirurgia Minimamente Invasiva (Ed. Revinter);
  • Autor do “Atlas of Deep Endometriosis” (Ed. Springer);
  • Membro da American Association of Gynecologic Laparoscopists (AAGL);
  • Secretário da Sociedade Brasileira de Endometriose e Ginecologia Minimamente Invasiva (SBE);
  • Vice-presidente da Sociedade Brasileira de Videocirurgia (Sobracil) – 2008 e 2009;
  • Ex-presidente da Sociedade de Videoendoscopia do Rio de Janeiro (Sociverj) – 2001 a 2004;
  • Membro Titular do Colégio Brasileiro de Cirurgiões – TCBC;

Prof. Dr. Marco Aurelio Oliveira

Coordenador Científico

  • Graduado em Medicina pela UFRJ;
  • Chefe do Ambulatório de Endometriose do Hospital Universitário Pedro Ernesto;
  • Mestre em Cirurgia pela UFRJ;
  • Doutor em epidemiologia pela UERJ;
  • Professor Adjunto e Chefe da Disciplina de Ginecologia da FCM/UERJ;
  • Coordenador da Pós-graduação em Videoendoscopia Ginecológica do Instituto Crsipi (Suprema);
  • Membro da Comissão Nacional de Endometriose da FEBRASGO (Federação Brasileira de Ginecologia e Obstetrícia);
  • Coordenador do Special Interest Gropu de Endometriose da RUTE (Rede Universitária de Telemedicina);
  • Título de Especialista em Giencologica e Obsterícia pela FEBRASGO;
  • Autor do primeiro livro de Cirurgia Laparoscópica em Ginecologia publicado no Brasil (Revinter, 1995)

Prof. Dr. Thiers Soares

Coordenador de Estações

  • Chefe do Serviço de Endoscopia Ginecológica do Hospital Federal Cardoso Fontes;
  • Professor da Pós-graduação em Endoscopia Ginecológica da Universidade Suprema;
  • Médico do Serviço de Endoscopia Ginecológica do Hospital Universitário Pedro Ernesto – UERJ;
  • Membro do Board da SLS – Society of Laparoendoscopic Surgeons

Faça sua pré-inscrição no Processo Seletivo HOJE MESMO!

Para participar do processo seletivo do curso de Cirurgião Pélvico pleno você deve pagar a taxa de pré-inscrição, através de boleto bancário ou cartão de crédito, clicando no botão abaixo e preenchendo o formulário. 
Após o pagamento, nossa equipe entrará em contato com você para informar sobre os procedimentos do processo seletivo, datas e demais informações.