10 mitos sobre a endometriose

A endometriose é considerada uma doença impactante e acomete, pelo menos, 80 milhões de mulheres mundialmente, sendo uma das principais causas de hospitalização em países industrializados. Dependendo do local e da gravidade da doença, essa dor se torna incapacitante.

Como o seu diagnóstico ainda é muito incerto. Muitas mulheres ainda sofrem com a falta de informação e causas infundadas, que alimentam o imaginário popular sobre o que caracteriza, aumenta ou diminui os focos da doença.

Confira:

  • Dores severas no período menstrual são normais.

Nada disso! Se suas cólicas atrapalham sua rotina do dia a dia, procure uma ajuda profissional. A dor de cólica “normal” é aquela que aparece nos primeiros anos da puberdade, quando a mulher começa a menstruar. Se os sintomas persistirem, por mais anos, procure um especialista. Sentir dor NÃO é normal e nem “coisa de mulher”.

  • Ela é muito nova para ter endometriose.

 Não é verdade! Adolescentes e jovens mulheres na faixa dos 20 não são tão jovens para portarem endometriose. Na realidade, a maioria das mulheres experienciam os sintomas durante a adolescência, mas infelizmente não encontram o diagnóstico correto até completarem 20 ou 30 anos.

  • Hormônios são a cura.

Não e não! Os hormônios apenas reprimem os sintomas durante algum tempo, porém, eles voltam. O tratamento mais eficaz é pela cirurgia.

  • Gravidez pode curar a endometriose.

Infelizmente os bebês não são a solução.  No entanto, a gravidez e a amamentação podem facilmente “esconder” os sintomas, pois durante esse período não há menstruação.

  • Endometriose = Infertilidade.

Não é verdade! Muitas mulheres engravidam mesmo portando endometriose. Porém, a probabilidade para a fertilidade cai à medida em que ficam mais velhas e aumenta a severidade da doença

  • Analgésicos resolvem o problema.

Remédios podem até amenizar as dores das cólicas. Mas a sensação de alívio não diminui os focos da doença. A automedicação demasiada pode causar a falsa sensação de cura e satisfação, contribuindo para a procrastinação do diagnóstico da endometriose.

  • A dor é só física e não psicológica.

Mentira! Por ser uma doença que causa tanto sofrimento e atrapalha ações do dia a dia, a endometriose gera vários problemas de caráter psicológico como a ansiedade e a depressão

  • A endometriose é uma doença rara.

Por possuir um diagnóstico altamente complexo, ela é vista como algo que poucas mulheres possuem. Nada disso! A endometriose é uma das doenças mais comuns, hoje em dia já afeta 80 milhões de mulheres no mundo. A dificuldade em determinar a doença está ligada a valores da cultura ocidental que durante séculos banalizaram e reprimiram à saúde íntima da mulher.

  • A dor se manifesta da mesma forma todas às vezes.

Só que não. As cólicas da endometriose nunca surgem na mesma intensidade. Cada ciclo parece que a dor aumenta e se estende para um órgão diferente. Às vezes ela aprece com o sintoma de pontadas, às vezes parece uma dor fina, às vezes parece que está rasgando algo por dentro. Por isso é um erro o conceito: “dor de cólica”. Cada dor é uma, com um nível diferente.

  • A endometriose é um problema menstrual.

Não. A menstruação é algo natural a todos os organismos femininos, o estranho nisso é o sangue da menstruação “vazar” e se “hospedar” no compartimento interior da barriga, o peritônio.

 

Fique ligado e confira outras postagens para saber tudo sobre a endometriose e a saúde feminina.

Outras Postagens

Nam dictum pretium nunc, nec suscipit urna lacinia in. Fusce ac congue nibh. Duis ac odio ante. Cras enim ac lacus tincidunt accumsan. Nam placerat urna ut euismod viverra.

Nosso blog