Endometriose e Alimentação

Estima-se que 7 milhões de mulheres convivam com a endometriose no Brasil. É muita gente sentindo, mês a mês, fortes cólicas menstruais, dor nas relações sexuais e, pior, descobrindo que não consegue engravidar, já que essa é uma das principais causas de infertilidade.
O problema pode ser causado por vários fatores, como questões genéticas, imunológicas e até ambientais. Infelizmente, não há uma forma específica de evitar que a endometriose apareça, mas sabe-se que um estilo de vida saudável tem influência positiva tanto na prevenção quanto no tratamento da doença.

Apostar em alimentos com propriedades anti-inflamatórias e se manter longe de itens que provoquem essa reação é fundamental para quem tem a condição. De modo geral, uma pessoa com endometriose deve reduzir a ingestão de carne vermelha, leite e derivados (como queijos amarelos e manteiga), embutidos, frituras, açúcares e doces em geral, farinha refinada, refrigerantes e outras bebidas gaseificadas de forma artificial.
Durante as refeições, evite beber junto com a comida, pois a prática atrapalha a digestão. Isso faz com que um material residual seja produzido, aumentando o stress oxidativo no organismo. A resposta a esse processo é ela mesma: a inflamação. Saiba mais:

Carne Vermelha:

A endometriose é uma doença que possui caráter inflamatório. Produtos industrializados, alimentos fritos e embutidos, contribuem para a inflamação dos focos da doença. A carne vermelha ganha destaque como vilã das portadoras, pois ela possui um tipo de gordura que é mais pró inflamatória, já que provém do ômega 6.

Além disso ela proporciona uma digestão mais lenta, portanto mais dificultada, proporcionando sintomas como a distensão abdominal, a má digestão, a dor e o desconforto, são agravados.

Tanto no decorrer do processo da doença, quanto no pós operatório, a carne vermelha deve ser evitada, sendo substituída por outras proteínas animais com fácil digestão, como ovos ou proteínas vegetais, como feijão, ervilhas, quinoa e lentilhas.

Frutas Cítricas:

Em sua última edição, a revista Human Reproduction, da Universidade de Oxford, mostrou como o consumo de frutas é capaz de reduzir a chance de ter endometriose. Outro ponto destacado foi o fato de alguns vegetais aumentarem a probabilidade de desenvolvimento da doença.

Durante 20 anos, os pesquisadores coletaram informações demográficas, antropométricas e sobre o estilo de vida de 70.835 mulheres com idade entre 25 e 42 anos.

Em relação à dieta, verificaram a frequência com que elas ingeriam 130 alimentos, incluindo bebidas, com opções de respostas variantes entre nunca, menos de uma vez por mês e seis ou mais vezes por dia. O uso de suplementos nutricionais também foi monitorado para evitar distorções.

Algumas participantes relataram consumir frutas e outros vegetais três, quatro, cinco, seis ou mais vezes por dia. Essas tiveram, respectivamente, 9%, 10%,18% e 12% menos risco de ter endometriose em comparação com as que afirmaram comer duas ou menos porções diárias.

As frutas cítricas foram o grupo mais atuante na prevenção da endometriose: mulheres que incluíram ao menos uma porção diária na dieta tiveram 22% menos risco em comparação às que consumiam o alimento menos de uma vez por semana. De acordo com os responsáveis pelo estudo, a provável responsável pelo benefício é a beta-criptoxantina, substância com propriedades anti-inflamatórias, transformada pelo organismo em vitamina A.

MAS FIQUE ATENTA! Frutas cítricas em excesso podem acarretar dores abdominais e problemas digestivos.

Outras Postagens

Nam dictum pretium nunc, nec suscipit urna lacinia in. Fusce ac congue nibh. Duis ac odio ante. Cras enim ac lacus tincidunt accumsan. Nam placerat urna ut euismod viverra.

Nosso blog