Cirurgia Robótica no tratamento de doenças ginecológicas

Uma das técnicas cirúrgicas mais inovadoras atualmente é a cirurgia robótica, que já é uma realidade no Brasil tanto na rede privada quanto na rede pública de saúde, e traz diversos benefícios para a equipe e paciente operada. A cirurgia robótica se destaca por sua grande precisão; nesse método o cirurgião manipula um robô que realiza pequenas incisões e através delas insere uma câmera, com a qual é possível visualizar toda a cavidade operada.

Esse processo é seguro em questões mecânicas, pois o robô segue todos os comandos do cirurgião de maneira rápida e precisa. Além disso, ele vem com um botão instalado para possíveis emergências que, ao ser acionado, desliga todo o sistema operacional do robô, garantindo assim a total segurança da paciente durante a cirurgia.

Com essa técnica, a cirurgia também se torna menos invasiva e o período pós-operatório menos complicado, além de se tornar um período menos suscetível para infecções. Para saber mais, acesse o nosso artigo sobre Cirurgia Robótica, onde explicamos com mais detalhes essa técnica. Hoje vamos falar sobre como ela pode ser usada para o tratamento de doenças ginecológicas.

As principais doenças ginecológicas tratadas através da cirurgia robótica

Uma das preocupações mais comuns dentre as pacientes que realizam algum procedimento cirúrgico para o tratamento de doenças ginecológicas é o medo de comprometer ou lesionar o seu útero e consequentemente comprometer a sua fertilidade.

No entanto, com o avanço da tecnologia, é possível realizar a cirurgia para o tratamento de doenças ginecológicas oferecendo poucos riscos para a fertilidade da mulher, principalmente com o uso das técnicas cirúrgicas robóticas, que vem se destacando na área ginecológica. Essa técnica pode ser usada para doenças e procedimentos como:

  • Retirada de miomas, através da miomectomia, sendo que a miomectomia utilizando procedimentos robóticos remove uma maior quantidade de massa de miomas;
  • Histerectomia, sendo que no caso da histerectomia utilizando procedimentos robóticos estudos mostram que as pacientes apresentam menor complicações no período pós-operatório;
  • Câncer de colo de útero, e nesse caso as pacientes submetidas a cirurgia com técnicas robóticas apresentam menor perda de sangue;
  • Câncer de endométrio, além da maior perda sanguínea e do menor período pós operatório, o uso de procedimentos robóticos também torna a cirurgia uma boa opção para pacientes com obesidade (as técnicas convencionais geralmente oferecem mais riscos e contra indicações).

Estudos já mostram que a realização da cirurgia robótica em pacientes com doenças ginecológicas benignas ou câncer de endométrio é uma ótima forma de tratamento. Para algumas doenças, como a endometriose, onde é necessário realizar a remoção do tecido sem lesionar os órgãos recobertos pelo tecido, a técnica de cirurgia robótica é muito mais precisa para garantir que os tecidos ao redor sejam preservados durante a cirurgia.

Vantagens e desvantagens da cirurgia robótica

Mesmo se tratando de um procedimento moderno e seguro, a cirurgia robótica ainda possui algumas limitações. As principais limitações encontradas em estudos são:

  • Exige uma equipe cirúrgica com um treinamento específico para esse tipo de cirurgia, pois a equipe precisará lidar com um robô de alta precisão e sensibilidade;
  • Embora haja uma redução de custos no período pós-operatório, há um aumento de custo para a realização da cirurgia robótica;
  • Limitações de equipamentos, nem todos os equipamentos usados hoje na prática laparoscópica convencional possuem uma versão para a realização de cirurgia robótica;
  • Risco de falha mecânica, que também pode acontecer em uma laparoscopia convencional.

No entanto, superando essas limitações podemos citar, dentre os diversos benefícios dessa cirurgia, as principais vantagens de sua utilização:

  • Melhor visualização do local que será operado, contando com câmeras tridimensionais (3D);
  • Instrumentos cirúrgicos com mais graus de liberdade do que os instrumentos convencionais (sete graus de liberdade, que se assimilam com as mãos e braços de uma pessoa);
  • Minimização dos tremores do cirurgião, conferindo maior estabilidade dos equipamentos dentro do campo cirúrgico;
  • Melhor ergonomia e mais conforto durante a cirurgia, diminuindo dores e dormências por parte do cirurgião;
  • Melhores resultados estéticos no local da incisão, pois as incisões são menores e menos incisões são realizadas;
  • Menor contato com o paciente durante a cirurgia, pois geralmente com essa técnica apenas o anestesista tem um contato direto com o paciente, diminuindo o risco de contaminações de equipamentos e de infecções.

A cirurgia robótica traz diversos benefícios em relação à cirurgia convencional, mas por conta do alto custo de implementação e de treinamento da equipe ainda não é uma realidade para todos os centros cirúrgicos.

O Instituto Crispi é especialista em cirurgias minimamente invasivas, e uma das técnicas adotadas pela equipe é a cirurgia robótica para o tratamento de doenças ginecológicas.

Se você deseja conhecer mais sobre como funciona o uso dessa técnica no tratamento de doenças ginecológicas, acesse o site do Instituto Crispi e conheça o passo a passo da cirurgia.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *