Quando devo me preocupar com as cólicas menstruais?

Algumas mulheres já estão tão acostumadas a ter cólicas que consideram isso apenas como algo normal e fisiológico. No entanto, embora a cólica seja uma resposta fisiológica comum, há casos em que a mulher deve se preocupar com esse sintoma de dor, pois ele pode indicar diversas doenças, como por exemplo a endometriose.

Estima-se hoje que entre 70% a 90% das mulheres já tiveram um episódio de cólica menstrual que as incomodou muito. Há casos ainda em que as mulheres precisam procurar o hospital para tratar da cólica, pois apenas tomar remédio em casa não faz efeito.

As cólicas possuem intensidades variadas e em alguns casos elas atrapalham a rotina da mulher, dificultando atividades do dia a dia como trabalhar e praticar atividades físicas. Caso a cólica seja muito intensa ou muito recorrente, a mulher deve procurar auxílio, pois deixa de ser um sintoma comum.

Por que sentimos cólicas?

A cólica ocorre quando o útero se contrai para liberar o tecido endometrial durante a menstruação. Além disso, quando o óvulo é liberado para a fecundação um líquido também é liberado. Esse líquido liberado pode ocasionar uma irritação na inervação, causando um sintoma parecido com a cólica.

É comum que as mulheres sintam cólica durante o período menstrual, e nesses casos é mais uma decorrência da menstruação e não necessariamente o sintoma de uma doença. Entretanto, há casos em que essa cólica deve ser investigada e merece atenção de um ginecologista.

Por isso também é importante que a mulher acompanhe o seu ciclo menstrual, seja através de tabelas, aplicativos ou outros, para saber quando essas cólicas são esperadas.

Quando a cólica passa a ser preocupante?

Como citamos anteriormente, a cólica é um sintoma fisiológico associado com o período menstrual. Entretanto, ela pode surgir fora desse período, gerando preocupação. Quando a cólica ocorre fora do período menstrual, mas não é recorrente, não é necessário se preocupar.

No entanto, se essa cólica persistir fora do período menstrual por mais de um mês é importante procurar um ginecologista, pois pode indicar doenças ginecológicas. Além disso, é importante avaliar a frequência e a intensidade dessa cólica, pois se a dor for muito intensa é indicado que a mulher procure um médica para investigação da causa e prescrição da medicação adequada.

Quais as doenças que causam cólica forte?

Existem doenças ginecológicas que causam uma forte dor na região do útero, como:

  • Endometriose, sendo que a cólica intensa e recorrente é um dos principais sintomas dessa doença que acomete entre 10 e 15% das mulheres;
  • Mioma, com uma dor que geralmente ocorre na região abaixo do ventre, na região lombar e/ou na região das pernas também;
  • Doença inflamatória pélvica, com uma dor que geralmente ocorre na região pélvica, intensa e muitas vezes associada até com a febre;

Embora não seja uma doença, a cólica também pode aparecer em casos de gestação. As cólicas aparecem logo no início da gravidez, nas primeiras semanas, de intensidade leve e na região abaixo do ventre.

É muito importante que a cólica recorrente seja investigada por um ginecologista, para que exames complementares sejam solicitados e a causa da cólica seja descoberta.

O que fazer em casos de cólica muito intensa?

É comum que em caso de cólicas intensas, a mulher se automedique. Seja um remédio indicado por uma amiga, ou um que ela sabe que ajuda a amenizar os sintomas pré menstruais.

No entanto, o ato de se automedicar é contra indicado, pois medicamentos que realmente aliviam os efeitos de cólicas intensas podem causar outros efeitos, por isso a necessidade de uma avaliação médica.

Nos casos em que os episódios de cólica são recorrentes e muito intensos, recomenda-se que a paciente procure o hospital.

Como evitar a preocupação com as cólicas?

Para evitar preocupações com as cólicas é necessário que a mulher:

  • Conheça e entenda o seu ciclo menstrual. Ao entender e conhecer as fases do seu ciclo menstrual a mulher consegue identificar cólicas fora do ciclo menstrual e quais as cólicas comuns que são decorrentes da menstruação. Para controlar o seu ciclo você pode contar com aplicativos de celular, sites, criar sua própria tabela de ciclo menstrual, tudo para conhecer as fases de seu ciclo.
  • Esteja sempre em dia com a sua saúde ginecológica. A sua saúde ginecológica precisa de constante acompanhamento, pois muitas doenças ginecológicas quando descobertas logo no início podem ser tratadas sem causar consequências para a saúde física e psicológica da mulher.
  • Consulte um ginecologista regularmente! Existem diversas doenças ginecológicas (como a própria endometriose) que podem ser assintomáticas, e são identificadas graças aos exames de rotina. Por isso, é extremamente necessário que a mulher se consulte regularmente com o ginecologista, para que ele possa identificar possíveis doenças ou infecções de forma precoce.

A saúde ginecológica é sem dúvidas algo que merece atenção e cuidado. É importante poder se consultar com um profissional experiente na área, principalmente em casos de suspeita de doenças.

No Instituto Crispi você conta com o apoio de profissionais de diversas áreas, prontos para dar todo o suporte necessário para sua saúde, garantindo também sua segurança e qualidade de vida. Agende hoje mesmo sua consulta através do site.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Leia Também

Conheça outros artigos publicados pela equipe do Instituto Crispi.

Nosso blog

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *