Como ficou a cirurgia de endometriose no contexto de pandemia

doutora e paciente conversando a respeito de exame

A endometriose é uma doença que afeta milhares de mulheres no mundo todo, e mesmo sendo uma das doenças ginecológicas mais conhecidas, ainda assim muitas mulheres têm dúvidas sobre as formas de diagnóstico e tratamento da endometriose, como por exemplo sobre a cirurgia de endometriose.

 

A cirurgia de endometriose é ainda hoje uma das maiores formas de tratamento para a doença, sendo a única forma de extinguir o foco da doença e evitar a progressão da doença de forma mais efetiva. A cirurgia visa retirar o tecido endometrial de locais de crescimento inadequado, como bexiga, intestino e similares.

Com a pandemia do Covid-19, muitas pessoas tiveram suas cirurgias desmarcadas e seus tratamentos afetados. No início da pandemia, os órgãos responsáveis por regulamentar a saúde orientaram que as cirurgias eletivas (como é o caso da cirurgia de endometriose) fossem adiadas. Como a pandemia já dura quase dois anos, diversos protocolos vêm sendo adotados para que as cirurgias de endometriose sejam retomadas e as mulheres que aguardam por essa cirurgia possam sair da fila de espera.

Quando é indicado realizar a cirurgia de endometriose?

A endometriose possui como opção o tratamento cirúrgico, cuja cirurgia é chamada de cirurgia citorredutora, indicado principalmente em casos onde:

  • A mulher possui endometriose e deseja engravidar futuramente (a cirurgia é o tratamento mais indicado para as mulheres que desejam preservar sua fertilidade);
  • Os sintomas não foram diminuídos com o manejo médico e medicamentoso.

A cirurgia de endometriose tem como objetivo principal a redução do tecido endometrial ectópico que está localizado na cavidade abdominal, por isso é conhecida como cirurgia citorredutora. A cirurgia se destaca como uma forma de tratamento ainda mais eficaz para a endometriose, pois o tratamento medicamentoso não elimina o foco da doença, e apenas evita a progressão da doença.

O que mudou com a pandemia?

Com a pandemia, as cirurgias de endometriose foram adiadas, seguindo as recomendações dos órgãos de saúde. Assim, as mulheres que estavam na fila de espera para a cirurgia e com os procedimentos já agendados tiveram que adiar ainda mais o tratamento da doença, e consequentemente tiveram sua vida muito afetada, pois muitas contavam com a cirurgia para amenizar os sintomas ou até mesmo para tentar engravidar. Quanto mais grave o estágio da endometriose, mais difícil é de recuperar a fertilidade da paciente, por isso o tempo é um fator de extrema importância e risco para as pacientes.

Dada a importância da cirurgia da endometriose e todas as mudanças da pandemia para o tratamento da endometriose, um grupo de pesquisadores do nosso núcleo de pesquisas realizou um estudo para acompanhar casos de mulheres que no ano de 2020 apresentaram um quadro grave de endometriose, com a necessidade de uma intervenção cirúrgica, e ainda levantou as principais recomendações de segurança sanitária adotadas para os procedimentos cirúrgicos realizados durante a pandemia.

Além disso, esse estudo também traz as respostas de cada mulher ao procedimento cirúrgico, com um acompanhamento de até seis semanas de cada caso. O estudo foi conduzido na cidade do Rio de Janeiro, e acompanhou apenas os onze casos de cirurgias de caráter emergencial que foram realizadas durante a pandemia. Todas as cirurgias foram realizadas pela mesma equipe multidisciplinar, com o mesmo protocolo a ser seguido.

Quais as recomendações para as cirurgias de endometriose durante a pandemia?

O estudo também apontou as principais recomendações sanitárias para as cirurgias de endometriose que foram realizadas no período da pandemia. Dentre as recomendações adotadas pela equipe, as principais foram:

  • Apenas pacientes testadas negativamente para o Covid poderiam adentrar o centro cirúrgico;
  • O paciente era monitorado através do telefone ou vídeo chamada, para identificação de possíveis sintomas de Covid;
  • As cirurgias só poderiam ser realizadas em “áreas livres de Covid”;
  • Apenas um acompanhante poderia ficar junto ao paciente no quarto, sendo que o acompanhante também deveria ter testado negativo para o Covid;
  • Nas duas semanas que antecediam a cirurgia, a equipe orientava que o paciente e os familiares de convívio próximo realizassem o isolamento social;
  • Os pacientes eram acomodados de forma individual em um quarto, para prevenir a possibilidade de uma infecção cruzada;
  • Toda a equipe usava equipamentos de proteção individual, contando com equipamentos descartáveis e que foram descartados logo após a cirurgia;
  • Toda a equipe era testada para Covid constantemente, visto que muitos membros da equipe trabalham em mais de um hospital;
  • Não era permitido que o acompanhante fosse trocado e nem a realização de visitas.

Todos esses procedimentos foram associados a outros procedimentos que compunham um protocolo de cuidados pré-cirúrgicos. Além disso, só foram realizadas cirurgias consideradas de caráter emergencial, assim os casos avaliados eram casos de maior complexidade e que exigiam uma intervenção cirúrgica o quanto antes.

Entenda a importância da cirurgia de endometriose

O tempo de espera para a cirurgia de endometriose para casos mais graves da doença pode fazer toda a diferença para a vida da mulher. As mulheres em estágios mais avançados da endometriose sofrem constantemente com os sintomas da doença, que muitas vezes as impedem de realizar atividades diárias como trabalhar. Além disso, o tratamento cirúrgico é a única forma de extinguir o foco da doença, impedindo a progressão da doença.

Embora a maioria da população já esteja vacinada, as medidas de restrição social flexibilizadas e muitas das medidas de prevenção de Covid já tenham sido flexibilizadas, como a abertura de estabelecimentos com a capacidade máxima de pessoas, ainda não há uma previsão para que a pandemia de Covid-19 realmente acabe e a situação sanitária do país volte ao que era o normal.

Por isso, é tão importante que a equipe e as pacientes conheçam todos os protocolos adotados nas cirurgias de endometriose, pois para muitas mulheres o tempo é um fator crucial.

Estudos como o apresentado neste artigo mostram a importância de planejar protocolos cirúrgicos voltados para a realização de cirurgias ainda no contexto da pandemia. Para ler o estudo completo e entender melhor sobre o assunto, basta acessar: https://www.hindawi.com/journals/criog/2021/5040873/

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *