Conheça as vantagens da Telemedicina

A imagem mostra um médico mexendo no celular.

Cada vez mais os meios digitais estão tomando conta de nossas vidas. Muitas coisas que antes só podiam ser feitas de forma presencial, hoje já podem ser feitas através de uma tela de computador ou smartphone, tudo de forma rápida e sem precisar sair de casa. No entanto, as vantagens da tecnologia em nosso dia a dia não se limitam apenas às áreas mais comuns, como lojas virtuais, podendo ser extremamente importante também para a área da saúde. Leia esse artigo e confira as vantagens da telemedicina.

Alguns pacientes se sentem mais confortáveis quando são atendidos sem precisar sair de casa. Existem casos também de pacientes que recebem o acompanhamento remoto, para que possam ser identificados possíveis riscos de reinternação, por exemplo. Embora a prática da telemedicina seja algo antigo e que já era praticado há décadas atrás, ela foi difundida e popularmente conhecida graças ao contexto atual de pandemia, mas não se trata apenas de uma nova tendência passageira: a prática da telemedicina promete ficar e ser uma nova forma de complementar a prática clínica.

Entenda como funciona a Telemedicina

A telemedicina surgiu ainda na década de 1950, com o uso de telégrafos, mas só foi reconhecida pela OMS e implementada no Brasil na década de 90, com a expansão da internet. Hoje, ela já é uma prática difundida e vai muito além apenas da emissão online de exames, como era baseada no começo.

Com a pandemia do Coronavírus que surgiu em 2020, percebemos como a internet é extremamente útil para nosso dia a dia. Com as regras de isolamento social, onde a única forma de contato aceita era a virtual, muitos conselhos de profissionais começaram a liberar a prática de consultas onlines, para que o paciente pudesse receber cuidados sem ter que sair de casa.

Embora a telemedicina tenha se tornado mais frequente por conta da pandemia, como comentamos anteriormente, essa prática tende a se manter mesmo quando as coisas voltarem ao seu contexto normal. De forma geral, a telemedicina consiste na prática médica realizada à distância, como a realização de consultas, emissão de exames, emissão de laudos e similares. Além disso, a telemedicina não é apenas realizada por computadores. Antigamente, os pacientes eram acompanhados de forma remota também por telefones, celulares e qualquer meio que criasse uma forma de comunicação entre paciente e médico.

A telemedicina pode ser separada também em áreas, de acordo com o seu objetivo, como:

  • Teleassistência: essa forma da telemedicina tem como foco principal a assistência do paciente em sua casa ou em um outro local específico que esteja, visando o seu bem estar. Essa assistência é importante para identificar casos de risco de reinternação, ou do agravamento de condições clínicas. Ela pode ser realizada de diversas formas, como através de mensagens, preenchimento de formulários de saúde falando sobre seus sintomas, ligações e outros.
  • Teleconsulta: essa pode ser considerada uma das formas mais buscadas de telemedicina desde a pandemia do Coronavírus. Essa forma consiste na consulta com um médico de forma remota, para que o paciente possa ser consultado sem sair de casa, o que é extremamente útil no caso de pessoas que não estão podendo se deslocar. A teleconsulta pode ser feita também entre dois médicos que desejam discutir sobre o caso clínico de um paciente, como uma discussão de caso cotidiana no hospital, mas sem ter que sair de seu consultório ou casa.
  • Teleducação: a teleducação é a utilização da capacitação para a prática clínica de profissionais de forma remota. Nessa forma de telemedicina são usadas ferramentas de videoconferências, aulas, palestras, tudo que possa manter o profissional capacitado e atualizado sobre as novas práticas clínicas.

Existem também outras frentes de atuação da telemedicina, como:

  • Emissão de exames e laudos médicos de forma online;
  • Troca de informações entre centros de saúde diferentes, para falar sobre um paciente por exemplo;
  • Discussão de casos clínicos, principalmente os de condições clínicas raras;
  • Cirurgias robóticas.

Entenda como funcionam as consultas virtuais e suas vantagens

As teleconsultas são realizadas através de softwares seguros e específicos para isso. Assim, o profissional consegue acessar todos os dados relevantes do paciente de onde estiver, bastando apenas que esteja conectado a internet. Com a consulta de forma remota o médico pode realizar um atendimento sem que o paciente tenha que sair de casa, ou consultar pessoas de outras cidades e até mesmo de outros estados.

Muitas pessoas se sentem mais confortáveis de poderem ser consultadas sem ter que sair de casa, principalmente durante a pandemia do Coronavírus, em função do risco de contaminação que deve ser evitado ao máximo. A consulta de forma remota é totalmente segura e tão importante quanto a convencional. Algumas pessoas demonstram receio, mas a eficácia é a mesma e o profissional ainda age com extrema dedicação.

No período da pandemia, o Instituto Crispi começou com a prática da teleconsulta, para facilitar o dia a dia de seus pacientes que precisavam de um acompanhamento médico mas que preferiam ou não podiam sair de casa.

O Instituto Crispi é reconhecido por toda sua estrutura e pela atuação impecável de seus profissionais, e isso não é diferente na consulta virtual. Todos os profissionais foram devidamente capacitados para realizar a consulta virtual da melhor forma possível, para que, mesmo virtualmente, o paciente se sinta acolhido e cuidado.

Se você deseja receber atendimento de qualidade, com profissionais experientes na área, mas sem sair de casa, agende hoje mesmo a sua consulta através do número 0800 020 2019. Através desse número você fala diretamente com um atendente do Instituto, que irá agendar o melhor horário para o seu atendimento virtual, sem que você precise sair de casa, mas com toda a segurança e acolhimento das consultas tradicionais.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Leia Também

Conheça outros artigos publicados pela equipe do Instituto Crispi.

Nosso blog

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *