Constipação: causas, sintomas e como tratar

Constipação ou “prisão de ventre” é caracterizada por disfunção da motilidade (capacidade que certos órgãos apresentam de realizar movimentos autônomos) do cólon e do processo evacuatório; sendo divididos em três subtipos: inércia colônica ou trânsito colônico lento; constipação com trânsito normal; e disfunção do assoalho pélvico ou disfunção evacuatória.

Os critérios de ROMA III para constipação incluem pelo menos dois sintomas em 25% das evacuações:

  1. consistência aumentada, fezes em fita ou em bolinhas
  2. sensação de evacuação incompleta
  3. sensação de evacuação bloqueada ou obstruída
  4. Necessidade de esforço ou apoio manual

Dentre as causas mais comuns estão:

  1. maus hábitos: dieta pobre em fibras, pouca ingestão de água, “prender” a vontade evacuatória por longos períodos, condicionar a evacuação a lugares ou horários
  2. Induzida por medicamentos
  3. Funcional: Síndrome do Cólon Irritável, constipação por trânsito lento
  4. Obstrução mecânica: tumor, estenose, etc
  5. Disfunção do assoalho pélvico

O tratamento dependerá da causa e é específico. Mas, o primeiro passo é a mudança dos maus hábitos, como inclusão de fibras solúveis na dieta, aumento da ingesta hídrica, aumento da ingesta de alimentos ricos em “gordura boa”, não adiar a vontade de evacuar, fazer exercícios físicos regularmente, entre outros. Procure ajuda! Prisão de ventre não é normal e o uso de laxantes de forma crônica agrava o quadro.

Fontes:

– The American Society of Colon and Rectal Surgeons’ Clinical Practice Guideline for the Evaluation and Management of Constipation

Paquette, Ian M. M.D.; Varma, Madhulika M.D.; Ternent, Charles M.D.; Melton-Meaux, Genevieve M.D.; Rafferty, Janice F. M.D.; Feingold, Daniel M.D.; Steele, Scott R. M.D.Diseases of the Colon & Rectum: June 2016 – Volume 59 – Issue 6 – p 479–492doi: 10.1097/DCR.0000000000000599

– Cirurgia Colorretal, Andreas M. Kaiser

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *