O que é endometriose no ligamento uterossacro

A endometriose é hoje uma das doenças que mais acomete as mulheres,e pode se manifestar em diversas partes do corpo. A endometriose consiste no crescimento anormal do tecido endometrial, como por exemplo o crescimento do tecido endometrial em ovários. Essa doença pode se manifestar de forma sintomática, causando intensas dores no local onde o tecido está crescendo, ou de forma assintomática, o que dificulta o diagnóstico.

A endometriose é considerada também uma das principais causas de infertilidade em mulheres. Comumente a endometriose é associada a regiões uterinas, mas há casos em que a doença cresce em regiões como o intestino e o ligamento uterossacro.

O ligamento uterossacro se refere ao tecido fibroso em filamentos, que vão desde o colo do útero recobrindo a região do começo do útero até o sacro (osso). Essa região é responsável pela fixação e sustentação do útero, e embora seja desconhecida por boa parte das pessoas, é um local onde comumente há o desenvolvimento da endometriose.

Endometriose no ligamento uterossacro

A endometriose no ligamento uterossacro é uma manifestação da endometriose profunda, que acomete quase 90% das pacientes que possuem endometriose profunda. Embora a endometriose possa ser sintomática ou assintomática, apenas 5% dos casos de endometriose no ligamento uterossacro são assintomáticos.

Os sintomas da doença costumam ser bem característicos, e o diagnóstico é realizado após a manifestação desses sintomas, sendo eles:

  • Dismenorreia (dores menstruais fortes): essas dores costumam acontecer antes e após o período menstrual das mulheres, e são mais intensas do que as cólicas menstruais.
  • Dispareunia (dores durante a relação sexual): as dores durante a relação sexual são comuns em pacientes que têm endometriose, e costumam ser fortes, como as dores menstruais, durante ou logo após a relação sexual.
  • Dor pélvica: essa dor na região da pelve ocorre tanto durante o período menstrual quanto fora do período, e são mais intensas do que as cólicas menstruais.
  • Disquezia (dor para evacuar): um sintoma muito comum para as pacientes que têm endometriose no ligamento uterossacro é a presença de dores fortes e intensas para evacuar, e em alguns casos pode ocorrer também a presença de sangue nas fezes.
  • Dor para urinar: pode ocorrer também a dor para urinar, que se manifesta de forma intensa durante o período menstrual.
  • Distúrbios no sono: estudos associam a endometriose com uma piora da qualidade do sono, como dificuldades para dormir, principalmente por conta das dores pélvicas. Esses distúrbios podem acarretar em problemas de estresse e alterações de humor.

O diagnóstico desse tipo de endometriose é feito com base em exames de imagem (como a ultrassonografia), que são solicitados quando o médico suspeita da endometriose (em casos sintomáticos) ou em exames de rotina (em casos assintomáticos). É importante  ressaltar que quanto mais cedo o diagnóstico, melhor para o tratamento.

Como é feito o tratamento da endometriose no ligamento uterossacro

O tratamento pode ser medicamentoso (com o uso de anticoncepcionais, por exemplo) ou cirúrgico. Assim como em outros tipos da endometriose, um tratamento medicamentoso pode acarretar em uma suspensão momentânea do crescimento anormal do tecido, mas em muitos casos quando a mulher para de tomar a medicação o crescimento volta a ocorrer no local.

Já o tratamento cirúrgico consiste na remoção do tecido de crescimento anormal da região. Existem hoje técnicas de cirurgias minimamente invasivas que proporcionam um rápido tratamento e fazem com que o tecido endometrial pare de crescer no ligamento, sem comprometer a fertilidade da mulher. Essa cirurgia é feita por pequenas incisões no umbigo e no abdômen, e costuma ser rápida e de fácil cicatrização, não deixando marcas aparentes na paciente.

É possível  ver a simulação de como ocorre essa cirurgia através de um vídeo disponibilizado pelo Instituto Crispi (clique aqui para assistir ao vídeo completo). Com essa cirurgia minimamente invasiva mostrada no vídeo, indicada para o tratamento da endometriose dos ligamento uterossacro e ureterolise, há uma redução no tempo do período pós-operatório da paciente, além de uma redução no risco do desenvolvimento de infecções no local das incisões, permitindo que a paciente possa voltar a sua rotina normal em pouco tempo.

Sobre o diagnóstico da doença

O diagnóstico da endometriose, independente do local que esteja acometendo, é facilitado quando a paciente é acompanhada por um profissional especializado na área, pois ele determinará, em conjunto com a paciente, qual o melhor tratamento para o caso. Da mesma forma, a cirurgia para a remoção do tecido, que garante o tratamento da endometriose, deve ser realizada por um profissional com conhecimento na área.

O Instituto Crispi é um dos maiores institutos do Brasil especializados em cirurgias ginecológicas minimamente invasivas. A equipe é preparada para o diagnóstico e cirurgias de diversos tipos na área ginecológica.

Poder contar com um profissional altamente especializado, e com uma equipe preparada, auxilia não só no tratamento cirúrgico, mas também no diagnóstico e no pós-operatório, dando maior segurança para a paciente nesse momento que é tão delicado. Se você deseja saber mais sobre ou quer se consultar com um de nossos especialistas, acesse a nossa página e agende um horário.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Leia Também

Conheça outros artigos publicados pela equipe do Instituto Crispi.

Nosso blog

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *