O que é um tumor anexial e quando suspeitar dele

Sempre reforçamos a importância da realização de consultas ginecológicas de rotina, principalmente para o diagnóstico precoce em doenças assintomáticas, como a endometriose. Além disso, a saúde ginecológica é um assunto que merece muita atenção.

Uma das doenças uterinas que geralmente se manifesta de forma assintomática é o tumor anexial, e embora muitas mulheres não saibam exatamente o que significa, onde se localiza e quais são os principais sintomas e riscos, esse tipo de tumor acomete cerca de 20% da população feminina.

O que é um tumor anexial?

Antes de entender o que é um tumor anexial, é necessário entender onde se localiza essa região. A região anexial corresponde a todas as estruturas “anexas” ao útero, como: tubas uterinas, ovários, ligamentos e o complexo vascular adjacente. Na maioria dos casos, esses tumores se originam no ovário e são benignos (como acontece com o cisto no ovário). No entanto, há uma parcela de casos onde esse tumor é maligno, e em outros ele pode representar até mesmo uma gravidez ectópica (aquela gravidez que ocorre fora do útero, como nas tubas uterinas).

Há casos também onde esse tumor não possui origem uterina, como ocorre nos tumores relacionados com as varizes pélvicas, em que o complexo vascular se encontra dilatado e com um aumento de massa localizada. É importante que um médico especialista investigue para saber se o tumor é benigno ou maligno, pois a forma de tratamento varia de acordo com o caso, como será explicado no decorrer do artigo.

Além disso, no momento do diagnóstico, os cistos anexiais podem ser classificados de acordo com:

  • Origem do cisto, que pode ser classificado como ginecológico ou não ginecológico;
  • Fisiopatologia do cisto, que pode ser classificado como tumoral, funcional ou infecciosa;
  • Faixa etária da paciente.

Principais sintomas do tumor anexial

Na maioria dos casos, o tumor anexial se manifesta de forma assintomática. Entretanto, quando o tumor se manifesta de forma sintomática, os principais sintomas são:

  • Dor abdominal ou pélvica: esse sintoma pode sugerir uma complicação associada, como por exemplo uma infecção ou uma hemorragia. Caso essa dor seja crônica, ela pode também ser um sintoma de endometriose.
  • Aumento do volume abdominal: quando esse sintoma aparece, pode representar um aumento significativo na massa do tumor anexial. Esse sintoma é um dos mais comuns em casos de neoplasias pélvicas malignas, estando presente em quase 70% desses casos.
  • Perda de peso involuntária: uma perda significativa de peso involuntária acontece principalmente nos casos mais avançados dos tumores malignos.
  • Distúrbios menstruais: irregularidades menstruais podem ser um sintoma clássico da gravidez (ectópica ou tópica). Caso não haja gravidez, essa irregularidade pode ser associada com tumores ovarianos e cistos anexiais.

Esses são os principais sintomas do tumor  anexial. A presença desses sintomas pode variar de mulher para mulher, assim como a intensidade em que eles ocorrem. Por isso, em casos sintomáticos ou assintomáticos, o diagnóstico é feito predominantemente graças às consultas ginecológicas rotineiras.

Como é realizado o diagnóstico dos tumores anexiais

Caso se trate de um caso sintomático, a mulher deve relatar todos os sintomas que está sentindo para o ginecologista, que pedirá os exames essenciais para o diagnóstico (como a ultrassonografia transvaginal).

Nos casos assintomáticos, a suspeita de tumores anexiais acontece com base nos exames de rotina solicitados durante a consulta com o ginecologista. Quando existe a suspeita, o médico realiza também o exame físico, podendo solicitar amostras de sangue e exames de imagem.

No exame físico citado, geralmente é feita a palpação detalhada da região abdominal, que avalia possíveis alterações na região pélvica. Caso o médico identifique alguma alteração, ou queira continuar investigando antes de descartar a hipótese de tumores anexiais, ele pode solicitar exames de imagem, como ultrassom pélvico e abdominal, hoje considerado o padrão de referência para a investigação desse tipo de tumor. Com o exame de imagem é possível identificar a posição e o tamanho do cisto anexial. Além disso, caso a mulher esteja em idade reprodutiva e mantenha relações sexuais frequentemente, é solicitado para o diagnóstico também um exame de gravidez, mesmo que não haja irregularidades na menstruação.

Reforçamos a importância dos exames de rotina para o diagnóstico de diversas doenças ginecológicas, principalmente as que se manifestam de forma assintomática, como o tumor anexial.  Para manter a sua saúde ginecológica em dia, realizando consultas e exames preventivos, o Instituto Crispi conta com uma equipe multidisciplinar especializada em doenças ginecológicas, especializada não só no diagnóstico, mas também no tratamento. Agende hoje mesmo sua consulta com os nossos  profissionais.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *