SOP e a saúde emocional da mulher

Você já parou para pensar que as doenças ginecológicas não afetam apenas o estado físico da mulher? Muitas acabam tendo seu diagnóstico e tratamento dificultados por conta de problemas emocionais e psicológicos ocasionados pela própria doença, sendo que algumas delas, principalmente as uterinas, são associadas com o desenvolvimento de problemas psicológicos como depressão e ansiedade.

Durante o tratamento dessas doenças, é importante que a paciente esteja com a sua saúde mental preservada e que possa contar com o suporte emocional de seus familiares e amigos. O apoio de pessoas próximas é associado com uma melhor adesão ao tratamento e diminuição de efeitos negativos psicológicos.

Hoje vamos focar em uma doença específica: a síndrome do ovário policístico. A mulher possui dois ovários ligados nas trompas uterinas, um em cada lado, que fazem parte do sistema reprodutor feminino. Os ovários produzem os óvulos e hormônios sexuais femininos que participam do ciclo menstrual. A síndrome do ovário policístico (também conhecida como SOP) ocorre quando há o surgimento de vários cistos, que podem ser preenchidos com líquido, originados do corpo lúteo não degenerado ou de folículos que não se rompem completamente durante o ciclo.

Sendo uma das doenças endócrinas mais conhecidas e complexas, a SOP acomete quase 10% da população feminina em idade fértil no Brasil. Uma doença em que, ao ser abordada, deve ser levado em consideração seus impactos físicos e psicológicos.

Impactos físicos da SOP que interferem nos ciclos e psicológico da mulher

A SOP pode desencadear uma série de complicações físicas para a mulher, como dores e sangramentos, que comprometem também a sua saúde psicológica. Esse quadro pode agravar os sintomas físicos e dificultar a adesão ao tratamento.

Dos impactos físicos que podem refletir direta e indiretamente na vida das mulheres, podemos citar:

  • Alterações hormonais drásticas, afetando o ciclo menstrual, a rotina e o psicológico das pacientes, que podem acabar desenvolvendo ansiedade, depressão e mudanças repentinas de humor.
  • Alterações físicas, que são ocasionadas pelo período menstrual ou pré menstrual (a chamada TPM) que podem acarretar em irritabilidade, baixa produtividade, nervosismo e problemas com a auto estima.
  • Presença de dores, como cólicas, que acarretam em um desconforto para a execução de atividades diárias, deixando a mulher irritada, triste e muitas vezes até mesmo impotentes.

Relação da SOP com a saúde mental

A SOP está diretamente ligada com os impactos negativos causados na saúde mental das pacientes. Estudos mostram que pacientes diagnosticadas com SOP têm até três vezes mais chances de serem diagnosticadas com depressão e ansiedade, e além disso têm mais chances de desenvolver transtornos alimentares e bipolares.

Tratamentos para a SOP

Como foi mencionado, a SOP é caracterizada pelo aparecimento de cistos dentro de um ou dos dois ovários. Esses cistos são pequenos e tratados quando há a presença de sintomas. O tratamento pode ser com base em medicamentos de controle hormonal, como o uso de anticoncepcionais, sendo assim um tratamento contínuo.

Entretanto, controlar a formação dos cistos não deve ser o único objetivo do tratamento. A SOP é intimamente ligada com o desenvolvimento de doenças e transtornos psicológicos. Por isso é necessário que a paciente receba um tratamento integrativo, de uma equipe multidisciplinar capacitada, analisando o quadro geral do paciente.

O plano de tratamento criado por uma equipe multidisciplinar não leva em conta apenas o uso de medicamentos, mas também considera outras práticas importantes para o tratamento, como:

  • Mudança de estilo de vida, adotando hábitos mais saudáveis para o dia a dia, como a prática de exercícios físicos. Essa prática não traz apenas benefícios físicos, como também é associada com benefícios emocionais e psicológicos;
  • Adoção de uma alimentação saudável, melhorando a presença de possíveis doenças crônicas, como a obesidade (estudos mostram que mais de metade das pacientes diagnosticadas com SOP são portadoras de obesidade);
  • Terapias alternativas, como práticas de acupuntura, yoga, pilates, meditação, exercícios de respiração. Todos eles voltados para que haja uma melhora nos sintomas psicológicos.

Um tratamento integrativo e efetivo só é possível com a união de toda a equipe multidisciplinar, composta por ginecologista, endocrinologista, cardiologista, farmacêutico e nutricionista, dentre outros.

Exames necessários para o diagnóstico

O diagnóstico da SOP é baseado em três critérios: excesso de hormônios andrógenos (testosterona), crescimento indesejado de pelos (como no rosto) e disfunção ovariana (anovulação e ovários policísticos). Para realizar o diagnóstico com base nesses critérios são necessários alguns exames, como:

  • Teste físico;
  • Exame de imagem;
  • Exame hormonal.

Importância do diagnóstico precoce

Embora ainda não se saiba como realmente evitar a SOP, algumas atitudes podem diminuir o risco dessa doença, como a prática regular de atividade física e alimentação adequada. Além disso, o diagnóstico precoce é a melhor forma de prevenção para a SOP.

Agende sua consulta no Instituto Crispi, um centro de referência no diagnóstico e tratamento de doenças de alta complexidade ginecológica, com profissionais com vasta experiência na área.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Leia Também

Conheça outros artigos publicados pela equipe do Instituto Crispi.

Nosso blog

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *